Como não ser demitido pelo erro de todos, uma receita para se proteger.

Ser demitido é uma das piores experiências que um profissional pode experimentar. Parece que fica pior se nessa hora levarmos a carga pelo erro que outras pessoas dividem conosco. Mesmo sendo um risco sério, podemos agir para nos proteger.

Quando alguma coisa dá errado parece que existe um alívio em saber que você não foi o único a se dar mal. É verdade que “errar junto” pode servir como justificativa para uma falha corporativa, um projeto que deu errado ou um investimento que não deu certo. Mesmo assim, no final a conta é sempre paga individualmente e não em conjunto. Mais importante é que as vezes quem ´paga a conta é um CPF e não um CNPJ, ou seja, a conta por uma falha corporativa pode ser paga com uma demissão e com a ruína da reputação de uma pessoa e não de uma empresa, que em geral pode até se manter andando – veja o caso dos irmãos JBS – o CPF pagou de um jeito (ou deveria), o CNPJ vai sobreviver (ou ao menos está).

Mesmo parecendo injusto, o fato é que desde os tempos construções das pirâmides do Egito, quando algo ia mal, alguém pagava com a cabeça – e naquele tempo era literalmente. Uma importante chave para nosso desafio atual é ter a informação certa e desprovida de emoção antes de iniciarmos uma jornada, ou projeto, que poderá vir a ser o nosso último na empresa. Sobre esse assunto, o SEBRAE tem uma grupo de documentos da série Comece Certo que valem mais do que parecem. Podem parecer que se tratam apenas do desafio de pequenas empresas, mas é ai que está seu valor. Qualquer departamento, grupo de trabalho ou equipe de projeto é equivalente a uma pequena empresa operando dentro de uma maior. Posto de outra forma, se um gestor de área ou projeto se posicionar como empreendedor e aplicar minimamente os princípios e procedimentos básicos de um micro empresário suas chances de sucesso são multiplicadas. Parte do sucesso estará na visão mais clara e pragmática dos riscos na sua atividade. Algumas vezes nos cercamos de tantas siglas e frameworks que nem percebemos porque eles existem ou para o que são úteis. É nesse hora que o “mind set” do pequeno empresário faz a diferença. São peritos em ir direto ao ponto e o SEBRAE conhece bem esse jeito de pensar. Por isso essa série pode ser tão útil. Algumas horas estudando esse material pode fazer a diferença na forma como fazemos a gestão do que nos foi confiado. Veja no material como assuntos como riscos, planejamento e controle podem ser mais simples e funcional que o trivial das grandes empresas.

Por fim, conhecer os riscos corporativos e os tratar de modo a manter os custos e o desempenho necessários para a operação planejada pode ser a diferença entre vencer ou ter que explicar o que aconteceu e que você não viu.

Você não é expectador da sua história, tenha o controle dos riscos que podem comprometer seu negócio. Veja como o módulo de analise de perfil de riscos da ferramenta BRAVO360 da W2CONN pode ajudar você e seu negócio a se proteger. É grátis e rápido, acesse aqui!

Deixe um comentário